A obsessão das métricas de negócio

A obsessão das métricas de negócio

Antes que você me xingue, critique ou exploda o Disqus abaixo com comentários negativos eu quero dizer que amo métricas de negócio! Não existe nada que eu goste mais do que de números (ok, algumas). Num passado nada distante eu devorei o livro Lean Analytics, tive a sorte de entrevistar os autores do livro (neste link), e agora você tem todo o direito de me perguntar: vai mesmo criticar métricas de negócio?!

JAMAIS, pois números não enganam! Se você tiver a decência e a humildade de encará-los pode dar uma guinada em seu negócio e salvá-lo (ou maqueá-los e sufocar lentamente até falir). É o que os gringos brincam sobre “face the f#cking truth”!

Mas esse artigo é sobre uma mudança de mentalidade que tive e gostaria de te apresentar: se você tem uma febre, quase obsessão, com métricas de negócio, fique tranquilo… você não está sozinho! Métricas são viciantes, você sempre acha que seu dashboard está pequeno e que algo está faltando.

Há um debate levantado no livro Lean Analytics sobre ser “data informed” (conhecer a métrica) ou “data driven” (dirigir suas ações baseados em métricas). Pessoalmente, prefiro a segunda opção, e ajudar a conduzir minha startup baseando-se em números.

Como os próprios autores do livro afirmam ser “data driven” não é ser cego e basear-se somente em números. É interpretá-los, com criticidade e bom senso, mas ainda assim conduzir suas ações baseadas neles (data scientist). Você não faz um teste A/B para escolher a roupa do trabalho, certo?

Mas o amadurecimento que mencionei no início está em se preocupar-se com métricas de forma saudável, focado na métrica certa e esquecendo-se das outras! Isso depende estritamente do momento em que seu negócio vive e é natural que você se preocupe. Confesso que meu primeiro dashboard depois do Lean Analytics tinha 6 métricas e eu cortaria um braço antes de abrir mão de uma delas.

Quer um exemplo prático? Demoramos meses até atingir o Product Market Fit na Viddheo. Abordamos consultorias, e-commerces, imobiliárias e só quando apresentamos o produto a empresas SaaS vimos nossa métrica de engajamento (número de horas em videoconferência por cliente) atingir o patamar desejado. Se você me perguntar o CAC desse período a resposta é gigantesco, e tudo bem.

No início de um empreendimento CAC alto, Churn alto, LTV baixo, tudo isso é aceitável, pois seu público ideal ainda não foi encontrado e os esforços não são concentrados. Seus tiros são para todos os lados (os famosos “hail mary shots”) e o foco só passa a vir depois que sabe onde seu público está.

Verdade seja dita: no início de uma startup os feedbacks qualitativos são muito mais importantes! O mais difícil é aceitar isso e não ficar preso ao ciclo vicioso de coletar métricas, mudar as ações, coletá-las de novo, e enfim.

Depois de um tempo (geralmente 18 meses), você encontrou o Product Market Fit e chega o momento de otimizar ao máximo o canal de tração que você escolheu e levar o CAC ao menor valor possível. Está aí a hora que você tanto esperava: os ajustes finos, os testes A/B, tudo isso só faz sentido quando o volume de acessos justifica o esforço para ganhar 3% de conversão. Lembre-se que o bom senso faz parte de qualquer empreendedor “data scientist”.

Empreendedores tomam decisões todos os dias. Umas certas, várias erradas e a vida continua. Nunca deixe que a obsessão com métricas seja demasiada e paralise suas ações, deixe-o sem norte e com projetos em stand by. Os autores do Lean Analytics foram extremamente felizes na abordagem “one metric that matters”. Como data scientists eles sabem que coletar métricas demais só atrapalha.

A melhor parte da entrevista que citei no início do artigo é justamente o final:

“Falhar não é bom, mas aprender é. Se você aprende alguma coisa quando você falha, tudo bem; mas se você falhou e não sabe o porquê, você desperdiçou o tempo de todo mundo. Como o Ben gosta de dizer: a meta é aprender. ”

A meta é aprender! Use as métricas para crescer e amadurecer sua empresa, e só mude seu Norte com base no aprendizado, não somente em um número. No mais, seja feliz (e dono de um negócio de milhões)!

 

Next Post:
Previous Post:
  • http://www.treasy.com.br Gilles B. de Paula

    Muito bom!

    Como quase tudo na vida, o segredo é o equilíbrio!

    • https://viddheo.com/ Diego Cordovez

      Valeu, Gilles! Com certeza, equilíbrio é fundamental!
      Abs

  • http://gerenciarotempoagora.com.br Gerenciar o Tempo Agora

    Excelente, muito bom mesmo. Concordo com você! Evandro.

    • https://viddheo.com/ Diego Cordovez

      Valeu, Evandro!

  • Gesian Bender

    Parabéns por mais este ótimo artigo. Em termos de métricas, posso garantir que o mailing list de vocês é o único dentre centenas que faço questão de ler e acessar, parabéns mesmo!

    • https://viddheo.com/ Diego Cordovez

      Muito obrigado, Gesian! Fico muito feliz com o feedback! Tomo a liberdade de recomendar o blog da Viddheo (https://viddheo.com/blog ) onde escrevemos mais sobre SaaS, crescimento e métricas de negócio. Fique à vontade pra me dizer o que achou também 😉
      Abraço!

  • https://viddheo.com/ Diego Cordovez

    Pessoal, fizemos um perguntas e respostas na Viddheo sobre SaaS com vários gringos! Eles abordam métricas também, ficou muito massa!
    Abs!

    https://viddheo.com/blog/saas-challenges/