Boostrapping criativo: ideias para quem arregaçou as mangas e resolveu tirar a empresa do papel por conta própria

Boostrapping criativo: ideias para quem arregaçou as mangas e resolveu tirar a empresa do papel por conta própria

Você está construindo um negócio com seu próprio dinheiro? Significa que você vai poder ter o controle da empresa e não terá a participação de investidores externos. O que (como tudo na vida) tem seus prós e contras. Mais liberdade também significa mais responsabilidade. A principal questão do chamado bootstrapping é colocar cada real que a empresa ganha de volta nela mesma. Ou seja, seu bolso não vai ver esses reais por algum tempo.

Tem gente que vende o carro, estoura o limite da conta, dos cartões de crédito e come macarrão instantâneo noites a fio, tudo em busca de realizar o sonho de ter um negócio próprio auto-financiado. E há alguns exemplos de empresas que chegaram lá por esse caminho… Olha só:

  • GitHub:  a plataforma de programação colaborativa começou à base do bootstrapp e funcionou assim por cinco anos, até receber um investimento de 100 milhões de dólares.
  • TechCrunch: o website de tecnologia mais lido do mundo foi custeado por verbas próprias desde a fundação, em 2005, até ser adquirido pela AOL em 2010.
  • Retention Science: o software de retenção de clientes e usuários para e-commerces existiu por dois anos com os recursos dos próprios sócios até receber um investimento de 1,3 milhão de dólares, no ano passado.

Então, dá para perceber que o boostrapping serve para começar um negócio até que ele atinja o sucesso esperado (como no caso do TechCrunch) ou então por um período de validação, até que ele esteja pronto para um investimento. Mas como fazer sua empresa andar por conta própria, na prática?

Selecionamos algumas dicas valiosas, abaixo.

1. Adie os honorários

Negociar com advogados não é tarefa fácil. Mas cada vez há mais profissionais dispostos a entender o mercado de empresas nascentes e apostar em boas ideias. Que tal combinar um pagamento retroativo para o momento em que a empresa atingir o ponto de equilíbrio ou mesmo para quando receber algum aporte de investidor série A? Se não for possível, ao menos tente um desconto durante os dois primeiros anos, antes da “decolagem”.

2. Seja cara de pau e peça desconto

A regra vale para qualquer serviço, mas principalmente os custos de servidor. Microsoft, SoftLayer, Rackspace e Amazon Web Services oferecem promoções para negócios online em fase inicial. Na verdade, este último oferece mais do que uma dúzia de produtos – alguns mesmo não têm custo algum para quem está começando a empreender.



3. Aproveite suas conexões

Funcionários da Apple chegam a ter 500 dólares de desconto no preço de etiqueta de um Macbook e de 20% a 30% de desconto em iPads. Tudo bem, pode ser que você não conheça ninguém da Apple. Mas seus colegas empreendedores muitas vezes têm produtos que podem ajudar sua empresa. Quer tal pedir um desconto no software de gestão do amigo? Ou naquele aplicativo financeiro que seu pessoal está precisando? Publicar mensagens promocionais no Facebook também pode ser um caminho para receber cupons importantes que ajudam a reduzir custos a todo custo!

4. Considere com carinho os coworkings

Trabalhar em casa é se isolar. Acampar nos shoppings e lojas de café pode fazer com que você gaste algumas dezenas de reais por semana com alimentos e bebidas. Em vez disso, encontre outras empresas em fase inicial como a sua e que queiram compartilhar um espaço em comum. Vocês podem dividir o aluguel, o valor da limpeza, manutenção e mesmo algumas experiências. Se na sua cidade já houver escritórios de coworking em funcionamento, melhor ainda. Eles podem ser muito mais baratos do que pagar por um escritório próprio. Além disso, são ótimos lugares para conhecer outros fundadores e pessoas criativas que podem acabar sendo novos parceiros, aliados e até mesmo clientes.

5. Peça descontos em eventos do seu setor

Muitos organizadores de eventos entendem que empresários iniciantes não têm rios de dinheiro para gastar em networking ou conferências. Muitas vezes eles têm possibilidades de proporcionar descontos especiais, mas não saem anunciando publicamente. Além do mais, nunca é demais perguntar.

6. Faça você mesmo

Publicidade é importante, mas será que você precisa de uma agência neste momento? A internet abre uma série de possibilidades para empresas iniciantes. Aproveite os eventos não só para trocar cartões. Troque também dicas que podem poupar seu dinheiro e ajudar sua empresa a andar por pernas próprias. Seu colega está com um site novo, todo bonitão? Será que ele contratou alguém ou fez sozinho? Não custa perguntar. Há muitas ofertas de templates customizáveis em que você pode se inspirar. O mesmo vale para outros serviços, como assessorias de imprensa e mesmo empresas de recrutamento. Vai chegar um momento em que sua empresa será grande o suficiente para terceirizar com gente super especializada. Mas, até lá, se seu caminho é o bootstrapping, construir suas próprias conexões com a imprensa e distribuir cartazes com anúncios de vagas em universidades pode ser um bom começo.

 

Você está usando toda a criatividade para tirar sua ideia do papel sem investimento? Conte sua história para a gente nos comentários! 

Next Post:
Previous Post: