O que é um MVP?

O que é um MVP?

MVP é a sigla de Minimum Viable Product (Produto Mínimo Viável, em português). Trata-se de uma versão protótipo de um produto com a finalidade de testar o modelo de negócios de uma empresa. O MVP também pode ser utilizado para testar as demandas dos usuários, por exemplo.

Ele auxilia a investir em um produto de maneira correta e que seja realmente útil para o seu público. Além disso, depois de certo tempo, o MVP ajuda as startups a prever os fatos antes que eles ocorram e lançar as novidades no momento mais propício.

Agora que você já sabe o que é um MVP, vejamos…

Como funciona?

Quando uma pessoa tem uma ideia para um negócio, logo surgem duas alternativas diferentes: passar alguns meses no projeto investindo dinheiro ou desenvolver uma versão mais simples dele para entrar logo no mercado enquanto ela aprende sobre esse produto.

Esse segundo exemplo é o chamado MVP. Trata-se de um produto que possui somente algumas partes mais importantes do projeto. Ele deve ser criado com o menor esforço e custo possível e de maneira mais rápida.

Processo de criação de um MVP

Para começar, o primeiro passo é definir uma proposta de valor, ou seja, o problema que você deseja solucionar com o seu produto. Depois, será preciso identificar algumas características mínimas desse produto para poder entregar a proposta de valor. A etapa funciona mais como um processo de excluir do que criar funcionalidades para esse produto.

Após construir o MVP, será necessário encontrar os “early adopters” – pessoas dispostas a utilizar a primeira versão desse produto ao mesmo tempo em que oferecem um feedback a respeito dele. Com esses feedbacks, ficará mais fácil o processo de validar ou invalidar hipóteses do modelo de negócios, bem como definir os próximos passos do planejamento, implementar novos recursos ao produto e realizar ajustes.

A importância do MVP

É muito comum que um MVP apresente alguns problemas e tenha erros. Na realidade, isso é bom, já que a função de um MVP é justamente essa: identificar os possíveis problemas de um modelo de negócios, inclusive indicando a necessidade de se fazer uma mudança na estratégia ou somente de revalidar a ideia inicial.

Dessa forma, na maioria dos casos, o MVP não é algo aberto para todas as pessoas, mas sim apenas para alguns usuários selecionados.

Com o MVP você terá mais condições de validar

  • que o seu entendimento do problema do cliente é adequado; e
  • que a sua proposta de solução para este problema é o que ele realmente quer.

MVP de Baixa Fidelidade (Lo-Fi)

Um MVP de baixa fidelidade é usado para validar premissas inicias e básicas de um negócio. Por exemplo: se a ideia é boa, se as pessoas pagariam o valor necessário, se ele é um formato ideal e outros.

Para criar um MVP de baixa fidelidade, você pode usar um hotsite, um vídeo, uma apresentação de slides e outras ferramentas que permitam mostrar o produto ao público.

MVP de Alta Fidelidade (Hi-Fi)

Como o próprio nome indica, essa versão é uma implementação mais completa, mesmo assim ela só oferece as funções necessárias e principais do produto.

Um MVP de alta fidelidade pode ser apresentado através de um site com funcionalidades mínimas, uma área de atendimento restrita, uma demonstração de um jogo ou de um aplicativo, uma empresa que venda produtos limitados, etc.

Outra excelente opção de MVP é o concierge: você executa o serviço manualmente, sem criar nenhum produto. Além de conhecer bem o cliente e como resolver o problema dele, você tem um investimento muito baixo para validar a sua ideia. Saiba mais sobre este tipo de MVP aqui.

Você já usou o conceito de MVP na sua empresa? Compartilhe como foi a experiência nos comentários!

 

Next Post:
Previous Post: